Coloque a máscara de oxigênio primeiro em você

Atualizado: 24 de ago. de 2021

“Passageiros viajando com alguém que necessite de ajuda deverão colocar suas máscaras de oxigênio primeiro para, em seguida, auxiliá-los”.


Tem vezes que escutamos essa frase e entendemos muito bem o significado dela - e não estou falando quando é falada por uma comissária de bordo antes do vôo.


Escutamos na UTIneonatal e fez todo o sentido. Lá eu percebi como colocar de verdade isso em prática é importante. É como se não tivesse outra escolha: meu corpo se recuperando de uma cirurgia, meus pensamentos e sentimentos confusos, precisava priorizar e cuidar de mim, de nós.


A Marina estava sendo muito bem cuidada, seguindo uma rotina. Nós precisávamos ter uma também para que esse “cuidar de nós” pudesse fazer parte do nosso dia a dia. Coisas básicas - hora para acordar, tomar banho, sentar e tomar um café reforçado. Arrumar a bolsa de roupas da Marina, arrumar nosso lanche, hora para sair, hora para chegar no hospital. Tudo cronometrado, pois a Marina tinha rotina, lembra? No hospital, seguíamos as orientações e horários da UTIneonatal.


Almoço na casa dos meus pais (comida com amor era necessário). Uma soneca ou uma conversa depois do almoço, hora para chegar no hospital, intervalo, descanso nas poltronas, café, lanche na área verde do hospital. Passeio pelo bairro para movimentar o corpo. Às vezes chegava uma visita rápida para nós. Tinha também o dia da terapia. Comer algo, deixar um pouco de leite para a Marina, dar um beijo de boa noite nela, voltar para casa, dormir exaustos. De segunda a segunda.


Cansativo? Sim. Muita coisa ficou de fora. Não dava tempo para manter a família e amigos atualizados. Pedi para a minha mãe responder a quem me enviava mensagens e todos foram muito compreensivos e amorosos. Eu sentia isso todos os dias, mesmo estando distante. Sentia saudades também. Via planos sendo adiados. Era atenção total para o momento que estávamos vivendo.


Ter uma rotina foi fundamental para fazer o que podíamos por nós. Isso ninguém poderia fazer. Era provisória, sabíamos, mas era necessária. Para que desse certo

teve uma certa organização. Assim garantimos as nossas máscaras de oxigênio.


Hoje (com o que estamos vivendo na pandemia) tenho essa sensação também, de que é importante garantir que eu esteja com a máscara de oxigênio, além da máscara que virou item obrigatório para todos. Não é estar bem a qualquer custo e sim perceber que há cuidados que não podemos deixar para amanhã. Isso é inegociável.


Hoje não há passeios no parque, não há visitas, mas temos ela no nosso colo, no nosso abraço. De segunda a segunda.


Viu? a rotina e a priorização aparecem como aliadas mais uma vez. De forma simples, aos poucos, podemos dar espaço a elementos importantes no nosso dia a dia. E quando faz sentido a mudança, ou o novo hábito, vem para ficar.


67 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo